miércoles, 9 de julio de 2008

Pra você, querida

"Prezada Mulherzinha,

Se existe alguém que pode falar o que vou falar para você, sou eu. Então, por favor, tenha a humildade de admitir que sei o que estou falando. Pois o que eu te direi é duro, mas poderá te fazer um bem enorme.
Chega. Chega de se comportar assim. Como se estivesse lutando pelo posto de rainha da bateria. De Miss Maravilha do Mundo.
(...)
Esse teu afã psicopata de vencer todas as paradas só te deixa ridícula. E me faz querer usar um termo que odeio: coisa de mulherzinha. Mulherzinha é que tem essa mania de estar sempre desconfiada das amigas, porque todas teriam inveja (...). Lamento informar, querida, que ninguém sente inveja de você. (...). Relaxa, ninguém está a fim de ser você. Tente, portanto, ser você com mais leveza (pois os outros sabem ser o que são). E lembre-se: esse negócio de dizer que não se pode confiar em mulheres só comprova que você é uma pessoa maliciosa. Sendo que isso está longe de ser porque você é fêmea.
Quando leio você tagarelando sobre seus feitos sexuais, sinto-me num filme ruim sobre ginasianas americanas. Todas fanhas e excitadas. Chega, tá? De azucrinar os outros com essa sua boca-genital lambuzada de gloss, cuspindo baixos-clichês, simulando uma modernidade que você não tem. (...).
Seja honesta uma vez na vida: confesse. Que você não é nada tão wild quanto se vende. Que não sabe falar tão bem inglês assim. (...).Acredite: idiotice só te faz charmosa para os/as cafajestes. Se continuar assim, nunca vai aparecer aquele cara bacana que você gostaria que aparecesse; para lutar por você, até te conquistar, e destruir essa tua linda silhueta com uma gestação de 15 quilos (na verdade isso já aconteceu).
É triste, amiga Mulherzinha..."
Fernanda Young

4 comentarios:

Anónimo dijo...

detesto Fernanda Young, acho ela a mais cliche das mulherzinhas e esse texto dela
hum
coisa de mulherzinha mal amada sei lá
pior é um texto dela falando sobre o leite. tão moderninha e nada consciente... antipatia mesmo por ela

agora eu deveria tentar ser mais mulherzinha mas acontece que não sou wild, não sei picas de inglês, detesto gloss e definitivamente não acho que alguém tenha inveja da minha complicada doce vida
ha

até
espero que esteja bem

Anónimo dijo...

naaaaaaah se eu achasse q era pra mim teria sido bem mal educada
huahauh
sem contar que não estou esperando o cara bacana
eu sou gay
hehe

mas continuo detestando F. Young
e seus textos pseudos inteligentes de mulher superior

d. dijo...

quanta mágoa nesse coração. dá câncer, sabia? beijos

d. dijo...

no seu. ódio da mulherzinha.