viernes, 26 de diciembre de 2008

39º

Vamos lá, talvez a febre ajude.
Por onde começo?
Ah sim, sim:
"A burguesia fede!", já disse o mestre Cazuza e as pessoas continuam repetindo num eco anormal e sem um grão de criatividade.
Sim sim...
Pelo amor de Deus, já estamos cansados demais de ouvir em pseudos-poeminhas que a culpa toda é da burguesia e do Sistema (sim, com letra maiúscula porque ele já virou entidade).
Parem um pouco de repetir incansavelmente sem refletir...
Quem é o burguês? Quem é o tal Sistema?
Você já parou pra pensar que enquanto faz sonetinhos dizendo que a culpa é toda do cara riquinho, não está fazendo mais do que prolongar a interminavel divisão das castas? O que se faz com tanto protestinho de fundo de quintal infundado é repetir e repetir feito papagaio ensinado. É isso que o tal "Sistema" tanto quer, a divisão. Você, senhor engajado, é puro Sistema camuflado.
Cai na real, meu amigo, minha amiga inteligente: pregar contra quem tem só mostra o desejo nada oculto de ter também e assim se eleva ad infinitum (como se escreve isso?) o preconceito que já existe de sobra. E tô falando do preconceito não do possuidor e sim daquele que não possui.
Tanto protesto é dor de cotovelo e se não fosse, os "manifestantes" perceberiam que correm por dinheiro, que fazem hora extra por dinheiro, que fazem crediário nas Casas Bahia pra ter a tv que brilha na casa do burguês, pra ter "status". Já foi engolido pelos valores que tanto critica.
E nem nota que o tal "burguês" é mais ou tão escravo quanto o proletário, porque sofre com todo tipo de doença psico-somática e gasta rios de dinheiro lutando contra o stress, já que vive para trabalhar e manter o patrimônio inútil.
É, caro amigo "militante", sinto te informar que o Sistema traiu a todos, pobres e ricos, cada um ferrado de uma maneira.
E sua pseudo-militância não derruba o monstrinho-sistema, só gera mais ódio contra pessoas de classes diferentes.
Quer um conselho?
Comece a escrever sobre o que é universal pra todo ser humano e não sobre as diferenças. Mostrar onde se é igual gera união e não esse ódio que ninguém precisa mais.
Ah, o Cazuza foi um poeta sim, foi sábio em reconhecer a podridão do dinheiro mal usado, mas pelo amor de Deus, tragam algo novo aos saraus e reuniõezinhas culturais.

2 comentarios:

Vitor dijo...

A segregação do ser humano funciona assim... Uns falam merda, até que outros reinvindicam o seu lugar no topo falando uma merda maior ainda e fica essa eterna falação de merda, ad infinitum como vc diz.

O mais complicado é entender aonde na história, foi dito que tal face da moeda é melhor que a outra.

Os pobres podem se reunir em saraus e falar um mooooonte dos ricos. "Os ricos são escória", "os ricos são podres", "Quero que o iate dele afunde", "Vamos matá-los" etc, etc...

Os ricos não podem fazer isso. Imagina, de jeito nenhum. Seria muita maldade. "Isso é mesmo Empório Armani??? Pra que pagar R$12 nessa imitação chinesa barata? Quem vc quer enganar com isso? Os outros pobres sabem que vc é pobre e não tem dinheiro pra comprar uma original, e se você juntasse alguns salários pra isso seria idiotice. Eu sou escória mas vc ta sempre querendo me imitar né... tsk tsk tsk" Imagina um rico falando assim. Vai até preso.

Quem tá certo e quem tá errado? Parabéns pelo texto!

Vitor

Vitor dijo...
Este comentario ha sido eliminado por un administrador del blog.